Brasil e outros países fazem “importante contribuição” para eleições no Haiti
BR

16 julho 2015

Reunião sobre processo eleitoral no país aconteceu nesta quinta-feira, na sede da ONU; começando em 9 de agosto, quase 6 milhões de haitianos vão escolher 1.280 administradores locais, 140 representantes municipais e 139 parlamentares; haitianos também vão democraticamente eleger um presidente.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

O porta-voz do secretário-geral da ONU, Stephane Dujarric, afirmou que o Brasil fez uma “importante contribuição” para as eleições no Haiti.

Falando a jornalistas na sede das Nações Unidas, Dujarric declarou que durante reunião sobre o processo eleitoral haitiano, nesta quinta-feira, “o Brasil, o Canadá, a Noruega e os Estados Unidos fizeram importantes contribuições para ajudar a fechar a atual lacuna de financiamento para as próximas eleições” no Haiti.

Desejo

Em pronunciamento no encontro no Conselho de Tutela, a representante do secretário-geral no Haiti afirmou que o pleito é “essencial para a renovação imediata das instituições democráticas do país”.

Para Sandra Honoré, as eleições também são “essenciais” para o restabelecimento do equilíbrio institucional e para a consolidação democrática de longo prazo do Haiti.

A chefe da Missão de Estabilização da ONU no Haiti, Minustah disse que o pleito é importante “para satisfazer o desejo do povo haitiano por democracia, participação como cidadãos, prestação de contas, responsabilidade e boa governança”. O encontro também contou a presença do primeiro-ministro do país, Evans Paul.

Segurança

Em entrevista à Rádio ONU, de Porto Príncipe, o comandante do componente militar da Minustah, José Luiz Jaborandy Júnior, falou sobre a preparação para a segurança durante o período eleitoral.

Apesar da grande, da radical diferença, entre os nossos efetivos presentes em 2010 e em 2015, nós estamos trabalhando de forma coordenada e conjunta com a polícia nacional do Haiti e com a polícia das Nações Unidas, estabelecendo um pool de forças de segurança que seja capaz de manter o ambiente seguro durante esse importante período, durante esse importante processo eleitoral, que vai marcar uma expressiva evolução na maturidade política deste país”.

Começando em 9 de agosto, quase 6 milhões de haitianos vão escolher 1.280 administradores locais, 140 representantes municipais e 139 parlamentares. O processo eleitoral, com diversos turnos, pode durar até o fim do ano.

Pela terceira vez consecutiva, os haitianos também vão democraticamente eleger um presidente. Segundo as autoridades, 38 mil candidatos estão concorrendo nas eleições locais, o que representa um número recorde.

Leia Mais:

Exclusiva: Sandra Honoré

ONU: Haiti está alcançando progressos concretos para realizar eleições este ano

Entrevista: José Luiz Jaborandy Júnior, chefe da Minustah

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud