ONU faz alerta contra mais medidas de austeridade para Grécia
BR

15 julho 2015

Especialista independente da organização pediu aos credores que avaliem os impactos do acordo sobre os direitos humanos; Juan Pablo Bohoslavsky afirmou que está seriamente preocupado com relatos de falta de remédios e comida no país.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O especialista independente da ONU sobre Dívida Externa e Direitos Humanos, Juan Pablo Bohoslavsky, fez um alerta esta quarta-feira contra mais medidas de austeridade para a Grécia.

Bohoslavsky está em Adis-Abeba, participando da 3ª Conferência Internacional sobre Financiamento para o Desenvolvimento.

Impactos

O especialista da ONU pediu às instituições europeias, ao Fundo Monetário Internacional e ao governo grego que avaliem os impactos das novas medidas sobre os direitos humanos.

Sua preocupação é a de que o plano de austeridade não seja implementado com um “custo para os direitos humanos da população”.

Ele citou relatos de que o país já está em uma crise humanitária com falta de remédios e comida. Bohoslavsky espera “que o acordo fechado esta semana em Bruxelas evite uma crise maior na Grécia”.

Segundo o especialista independente da ONU, “as novas políticas de ajustes devem respeitar as obrigações de direitos humanos que estão vinculadas não somente ao governo grego, mas também aos países credores e instituições financeiras”.

Risco

Ele deixou claro que “existe um risco real de que algumas das medidas mais rigorosas possam ser incompatíveis com as leis de direitos humanos europeias e internacionais”.

Bohoslavsky afirmou que “a prioridade deve ser em garantir que todas as pessoas no país tenham acesso aos direitos básicos econômicos, sociais e culturais”. Nesse processo devem estar incluídos também os direitos à saúde, alimentos e previdência social.

O especialista disse que “a Grécia parece estar em uma situação em que a insolvência e a falta de liquidez são indistinguíveis”.