Equipa da ONU ouviu vítimas de violência sexual na Guiné-Conacri

6 julho 2015

Investigação contou com a participação de mais de 400 testemunhas, num trabalho liderado pelo escritório da representante especial do secretário-geral; crimes foram cometidos em estádio de futebol em 2009.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.   

Uma equipa das Nações Unidas terminou esta segunda-feira uma visita de dois dias a Guiné-Conacri. Os especialistas fazem parte do escritório da representante especial do secretário-geral sobre violência sexual em conflito, Zainab Bangura.

A visita faz parte de um trabalho de apoio aos esforços do país para garantir a responsabilização sobre crimes de violência sexual cometidos num estádio de futebol na capital Conacri, em setembro de 2009.

Punição

Segundo agências de notícias, na ocasião, centenas de pessoas foram estupradas ou vítimas de outros tipos de violência e de abusos.

A equipa de Bangura encontrou-se com o ministro da Justiça, com organizações da sociedade civil, com advogados a representar as vítimas e também com o painel de juízes que estão a investigar os crimes.

Com o apoio das Nações Unidas, já foram ouvidas mais de 400 testemunhas, o que levou ao indiciamento de 15 pessoas, inclusive militares. Apesar do fim da visita, a equipa continuará a prestar apoio para que todos os responsáveis pelos actos  de violência sexual sejam punidos.

Leia Mais:

Unicef volta a fazer campanhas de prevenção do ébola na Libéria

“Saara pode ser tão mortífero quanto o Mediterrâneo para migrantes”, diz OIM

Enviado da ONU quer início de diálogo sobre presidenciais na Guiné Conacri