Unicef: ação urgente necessária para enfrentar trabalho infantil na Síria
BR

2 julho 2015

Segundo novo relatório da agência da ONU e da ONG Save the Children, conflito e crise humanitária no país estão levando mais crianças à “exploração no mercado de trabalho”; documento foi lançado nesta quinta-feira.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

O conflito e a crise humanitária na Síria estão levando um “número cada vez maior de crianças à exploração no mercado de trabalho”. Especialistas disseram que muito mais precisa ser feito para reverter esse quadro.

A avaliação está em um novo relatório lançado, esta quinta-feira,  pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, e a ONG Save the Children.

Renda Familiar

O documento mostra que na Síria, as crianças estão agora contribuindo com a renda familiar em mais de 75% das residências pesquisadas. Já na Jordânia, quase metade das crianças refugiadas sírias participa ou é responsável pela renda familiar.

Em algumas partes do Líbano, há relatos de crianças de até seis anos trabalhando.

As mais vulneráveis de todas as crianças que estão trabalhando são aquelas envolvidas em conflito armado, exploração sexual e atividades ilícitas, incluindo mendicância organizada e tráfico de menores. 

Desespero

O diretor regional da Save the Children, Roger Hearn, afirmou que “com as famílias ficando cada vez mais desesperadas, as crianças estão trabalhando principalmente para sua sobrevivência”.

Ele disse ainda que tanto na Síria como nos países vizinhos, os menores estão de tornando importantes “agentes econômicos”.

Perigo

O relatório menciona crianças que trabalham em condições perigosas, representando riscos à saúde e ao bem-estar.

Segundo o diretor regional do Unicef para o Oriente Médio e o norte da África, Peter Salama, o transporte de cargas pesadas, a exposição a pesticidas e substâncias químicas tóxicas e longas horas de trabalho são apenas alguns dos perigos que as crianças que trabalham enfrentam todos os dias na região."

Geração Perdida

Além disso, os menores que trabalham têm probabilidade maior de deixar a escola, contribuindo para o temor de uma “geração perdida” na Síria.

O Unicef e a Save the Children pedem uma série de medidas para abordar a questão do trabalho infantil na região atingida pela crise humanitária síria.

Entre elas, estão fornecer educação de qualidade e segura para as crianças impactadas pela crise e investir em sistemas e serviços de proteção dos menores.

Consultas

Segundo o relatório, “as crianças estão pagando um alto preço pelo fracasso do mundo em pôr um fim ao conflito”.

Como parte das consultas em Genebra, o enviado especial da ONU para a Síria,  Staffan de Mistura, se reuniu nesta quinta-feira com uma delegação da Coalização Nacional Síria das Forças Revolucionárias e de Oposição e discutiram perspectivas para uma solução política para o conflito.

Mistura pretende ir Nova York nos próximos dias para relatar ao secretário-geral sua avalização sobre a fase inicial das consultas em Genebra. Ele também realiza outras reuniões na cidade e em capitais regionais e internacionais tendo em vista a preparação para reunião do Conselho de Segurança no fim de julho.

Leia Mais:

ONU alerta que "violência continua com profunda impunidade na Síria"

Enviado da ONU condena ataque de forças da oposição em Alepo, Síria

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud