OIM quer mais assistência para menores vítimas de tráfico na África Ocidental

29 junho 2015

Operação em parceria com a Interpol resgatou dezenas de vítimas de tráfico ganês e marfinenses; iniciativa prendeu 22 supostos traficantes na área onde estas são sujeitas às piores formas de trabalho infantil.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A Organização Internacional para Migrações, OIM, vai coordenar assistência social para crianças vítimas de tráfico no Gana e na Cote d'Ivoire nos próximos meses.

A agência disse estar em busca de soluções duradouras para os menores. Entre as alternativas estão esforços para garantir o retorno das crianças às famílias biológicas ou de acolhimento, com vista a uma reintegração a longo prazo ou para evitar o seu regresso às redes de tráfico.

Vítimas e Traficantes

Em junho, 48 crianças vítimas de tráfico foram resgatadas e 22 supostos traficantes foram presos na operação policial denominada Akoma. Trata-se da mais recente ação contra a prática e a exploração de crianças na África Ocidental.

A OIM tem a parceira da Interpol na iniciativa que envolve enfermeiros, médicos e psicólogos. A agência está a cargo da supervisão e da coordenação dos profissionais, que foram colocados em áreas de intervenção da polícia.

A sua função é prestar os primeiros socorros com alimentação, assistência médica e psicológica. Após audiências preliminares para identificar vítimas de tráfico e das piores formas de trabalho infantil, os menores são depois transportados para um centro de trânsito que avalia a sua situação e identifica as suas necessidades específicas.

*Apresentação: Denise Costa.

Leia Mais:

Ban diz que nova agenda global deve combater as drogas