OIM apoia ações para reduzir ébola para zero casos na Serra Leoa

22 junho 2015

Agência ajuda as autoridades a intensificar vigilância nas fronteiras terrestres; obetivo é atingir meta até julho; continuam ações nos portos e aeroportos  no país que já teve 12,965 pacientes.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Organização Internacional para Migrações, OIM, disse que está a aumentar as suas operações na Serra Leoa para vigiar o ébola junto das fronteiras terrestres com a Guiné Conacri.

A ideia é conter o vírus no país até meados de julho. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, OMS,  a Serra Leoa registou 3.913 mortos e 12,965 pacientes do surto.

Portos

As medidas que também incluem os portos marítimos de Freetown têm o apoio da Agência norte-americana para o Desenvolvimento, Usaid, e do Escritório Internacional de Assistência a Desastres no Exterior, Ofda.

A semana passada foi marcada por 16 casos na Serra Leoa, o maior registo semanal em dois meses. Milhares de viajantes cruzam a fronteira internacional entre Kambia, na Serra Leoa, e Forecariah na Guiné Conacri.

O corredor entre as capitais Freetown e Conacri continua a ser uma importante área de transmissão, apesar de "significativas intervenções humanitárias".

Monitores

A presidente da Serra Leoa declarou um recolher obrigatório  que inclui restrições de viagens na área para se chegar a zero casos até os princípios de julho. A medida vigora entre as 6 e as 18 horas durante  21 dias.

Nas últimas três semanas, a OIM monitorizou o rastreio das entradas e saídas ao país, com cerca de 25 monitores.

A primeira fase do projeto apoiou a criação da triagem no Aeroporto Internacional de Lungi, que foi concluída em maio.

Leia Mais:

Emprego volta para os níveis anteriores ao ébola na Serra Leoa

OMS: 25 casos confirmados de ebola na Guiné e Serra Leoa

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud