Ban alerta que graves violações são cometidas contra crianças no mundo
BR

18 junho 2015

Secretário-geral afirmou que 2014 foi um dos piores anos para os menores que vivem em países em conflito; Conselho de Segurança realiza debate aberto sobre crianças e conflito armado.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou esta quinta-feira que 2014 foi um dos piores anos para as crianças que vivem em países afetados por conflitos.

A declaração foi feita num debate aberto realizado no Conselho de Segurança sobre crianças e conflito armado.

Graves Violações

Ban disse que todos estão vendo crises se multiplicando e intensificando, fazendo com que as operações para proteger os menores se tornem cada vez mais difíceis.

O chefe da ONU afirmou que graves violações contra crianças têm sido uma afronta ao sentimento comum de humanidade na República Centro-Africana, no Iraque, na Nigéria, no Sudão do Sul e na Síria.

Ele disse que está profundamente alarmado com o sofrimento de muitas crianças como resultado das operações militares israelenses em Gaza no ano passado.

Ban pediu a Israel que adote medidas imediatas e concretas, incluindo uma revisão de suas políticas e práticas, para proteger e evitar a morte de crianças e também evitar ataques contra escolas e hospitais.

O secretário-geral declarou que em todo o mundo, milhares de menores estão passando por experiências que nenhuma criança deveria sofrer.

Ele explicou que as crianças têm sido mortas e mutiladas, são recrutadas à força, torturadas e sofrem abusos sexuais.

Representante Especial

A representante especial do secretário-geral, Leila Zerrougui, também fez um pronunciamento aos membros do Conselho de Segurança. Ela afirmou que 230 milhões de crianças vivem em países afetados por conflitos.

Segundo Zerrougui, mais de 5 milhões de menores refugiados foram forçados a fugir de países que estão sendo monitorados.

A representante especial disse que este é um momento de ação já que uma geração inteira de crianças depende da comunidade internacional.

Sequestros

O secretário-geral da ONU alertou também para os casos de sequestros, que estão aumentando rapidamente.

Ban mencionou que essa prática está sendo utilizada por grupos como o Exército de Resistência do Senhor, o Boko Haram e o Daesh, denominação em árabe para o Estado Islâmico do Iraque e do Levante, Isil.

Segundo o secretário-geral, a escala e a natureza dessas violações estão mudando. Ele disse que os sequestros agora são usados como tática para aterrorizar grupos étnicos ou religiosos e as crianças são o principal alvo.

Ele reforçou o compromisso da ONU em fazer mais para evitar qualquer abuso infantil em situações de conflito. Ban mencionou que as recentes alegações de abuso na República Centro-Africana fazem desse esforço uma questão mais essencial ainda.

Ban Ki-moon deixou claro que as “crianças têm o direito de serem protegidas nas escolas, em casa e em suas comunidades”.

Leia Mais:

Aumenta número de crianças mortas ou mutiladas no Iémen, diz ONU

ONU marca Dia Internacional de Crianças-Soldado pedindo fim da prática

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud