Pesquisa da AIEA sobre tratamento do câncer ganha prêmio internacional
BR

11 junho 2015

Estudo ajuda médicos a avaliar e tratar pacientes com uma forma de linfoma não-Hodgkin; publicação é resultado de projeto de pesquisa envolvendo a agência da ONU e centros de pesquisa em diversos países, entre eles o Brasil.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

Uma publicação resultado de um projeto de pesquisa iniciado, patrocinado e coordenado pela Agência Internacional de Energia Atómica, Aiea, recebeu um prêmio do Jornal de Medicina Nuclear.

Segundo a agência, o trabalho ajuda médicos a avaliar e tratar de forma eficaz pacientes com uma forma de linfoma não-Hodgkin, um tipo agressivo de câncer, usando técnica de diagnóstico por imagem nuclear.

Brasil

A publicação é o resultado de um projeto de pesquisa envolvendo a Aeia em cooperação com oito centros de pesquisa em diversos países: Brasil, Chile, Coreia do Sul, Filipinas, Hungria, Índia, Itália e Tailândia.

O estudo também teve conselhos de pesquisadores da França, Itália, Turquia e Reino Unido.

O estudo envolveu 383 pacientes com uma forma de linfoma não-Hodgkin chamado linfoma difuso de grandes células B, Dlbcl na sigla em inglês. Os pacientes foram monitorados por dois anos.

Estudo Internacional

O projeto de pesquisa envolveu diferentes sistemas de saúde e populações de etnias diversas para garantir que as respostas ao tratamento eram comparáveis globalmente.

Com a participação de pesquisadores de onze países desenvolvidos e em desenvolvimento, o estudo concluiu que as respostas eram as mesmas no mundo todo.

A chefe da sessão de Medicina Nuclear e Diagnóstico por Imagem da Aiea, Diana Paez afirmou esperar que as comunidades médica e científica possam implementar as recomendações feitas no estudo.

Leia Mais:

África do Sul: Aiea revela apoio para melhorar aleitamento materno exclusivo