ONU faz apelo à Venezuela sobre atenção médica a presos em greve de fome
BR

3 junho 2015

Escritório de Direitos Humanos expressou nesta quarta-feira “grande preocupação” com situação de Daniel Ceballos, ex-prefeito de um município no país; o político está detido desde 2014 sob acusações relacionadas a seu papel em protestos contra o governo.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

O Escritório do alto comissário da ONU de Direitos Humanos expressou nesta quarta-feira “grande preocupação” sobre as condições de detenção e de piora da saúde de Daniel Ceballos, ex-prefeito de um município na Venezuela.

O político está detido desde março de 2014 sob acusações relacionadas a seu papel em protestos contra o governo no ano passado.

Greve de Fome

Junto com outros três presos, Ceballos iniciou uma greve de fome em 22 de maio.

O Escritório da ONU apelou às autoridades que garantam que todos os detidos em greve de fome tenham acesso à assistência de saúde com um médico de sua escolha. O acesso a suas famílias e advogados também deve ser garantido.

Segundo o porta-voz do órgão, Rupert Colville, um dia após começar a greve de fome, Ceballos foi transferido a uma prisão fora da capital Caracas, e fora da jurisdição onde está sendo julgado, sem o conhecimento de sua família ou do advogado.

Direitos Fundamentais

Em agosto do ano passado, o grupo de especialistas da ONU considerou sua prisão arbitrária.

O Escritório reiterou pedido às autoridades venezuelanas para que libertem imediata e incondicionalmente todos os que estão detidos por exercerem seus direitos fundamentais de liberdade de expressão e associação.

Leia Mais:

ONU preocupada com novos relatos de violência e mortes na Venezuela

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud