ONU condena ataque que matou pelo menos 70 civis na Síria
BR

31 maio 2015

Enviado especial para o país Staffan de Mistura afirmou que forças do governo sírio usaram helicópteros para jogar bombas barril em áreas residenciais em Alepo.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O enviado especial das Nações Unidas para a Síria, Staffan de Mistura, condenou o ataque realizado por forças do governo sírio neste sábado que matou pelo menos 70 pessoas.

De Mistura afirmou que as tropas sírias usaram helicópteros para jogar bombas de barril num mercado popular na região de Al Shaar, em Alepo.

Operação Militar

O representante da ONU disse que a operação militar merece forte condenação da comunidade internacional.

Segundo as agências de notícias, muitas pessoas também ficaram feridas quando os helicópteros jogaram dois explosivos na área que estava muito movimentada no momento do ataque.

De Mistura afirmou que o uso de bombas barril deve acabar. Ele declarou que os dados "comprovam que a maioria absoluta das mortes de civis no conflito sírio foi causada por esse tipo de armamento".

Inaceitável

O enviado especial disse que a proposta das Nações Unidas de congelamento dos bombardeios em Alepo não se materializou.

Para de Mistura, "é totalmente inaceitável que a Força Aérea síria ataque seu próprio território, de forma indiscriminada e matando seus próprios cidadãos, como aconteceu em Alepo".

O representante da ONU deixou claro que "a proteção de civis durante conflitos armados é a base da lei humanitária internacional e deve ser aplicada em todas as circunstâncias e sem distinção".

Leia Mais:

PMA pede pausa humanitária na Síria

ONU continua consultas sobre Síria em reuniões em Genebra

Síria: enviado da ONU continua consultas em busca de solução política

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud