Chefe do Ocha sugere medidas para Conselho de Segurança ajudar sírios
BR

28 maio 2015

Valerie Amos afirmou que a comunidade internacional deve fazer mais para proteger a população civil; ela disse que os Estados-membros devem obrigar os lados em conflito a respeitarem as leis internacionais.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A chefe do Escritório das Nações Unidas de Assistência Humanitária, Ocha, Valerie Amos sugeriu ao Conselho de Segurança que implemente seis medidas para ajudar os sírios.

Falando a jornalistas logo depois de pronunciamento aos integrantes do Conselho, Amos comentou sobre a situação na Síria. Ela deixa o cargo no fim deste mês.

Situação

A chefe do Ocha disse que “a situação no país continua deteriorando e que a comunidade internacional deve fazer mais para ajudar a melhorar as condições da população civil”.

Em primeiro lugar, Amos afirmou que o Conselho de Segurança deve garantir a proteção dos cidadãos. Deve também obrigar as partes envolvidas no conflito a respeitar as leis internacionais e as resoluções do próprio órgão para permitir o acesso de todos à ajuda humanitária.

Ainda na lista estão acabar com todas as situações de cerco ou isolamento de determinadas áreas e assegurar todas as possibilidades para prestação de contas dos responsáveis por qualquer tipo de violação.

Valerie Amos disse ainda que o órgão deve aumentar a ajuda financeira à resposta humanitária. Por último, deve ser respeitada a natureza não política da assistência humanitária e os trabalhadores devem ter condições de executar suas funções sem qualquer tipo de pressão.