OMS alerta que milhões de vidas estão em risco no Iêmen
BR

27 maio 2015

Diretora-geral da agência da ONU afirmou que o conflito no país já matou 2 mil pessoas; Margaret Chan disse que muitos estão morrendo por causa da falta de condições de atendimento dos hospitais e também pela falta de remédios.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A diretora-geral da Organização Mundial da Saúde, OMS, Margaret Chan, alertou esta quarta-feira que muitas pessoas estão morrendo no Iêmen por causa da falta de combustíveis para os geradores de eletricidade dos hospitais.

Segundo Chan, o conflito que está entrando em sua décima semana já causou a morte de 2 mil pessoas e deixou 8 mil feridos até agora, incluindo centenas de mulheres e crianças.

Remédios

A chefe da OMS disse que 8,6 milhões de pessoas precisam de ajuda médica urgente. A falta de remédios está matando também os que sofrem de diabetes, hipertensão e câncer.

Ela declarou que os hospitais estão fechando as operações de emergência e os setores de cuidados intensivos. O Programa Nacional de Tuberculose foi cancelado em algumas regiões e doenças infecciosas como malária e dengue estão se espalhando.

A diretora-geral advertiu ainda para o sério risco do surgimento de surtos de pólio e sarampo no país.

Chan declarou que as violações da lei humanitária internacional precisam acabar, especialmente os ataques contra instalações e trabalhadores de saúde, como também contra pacientes.

Leia Mais:

Ban pede adiamento das consultas sobre o Iêmen

OIM lança apelo de US$ 84 milhões para ajudar Iêmen

Consultas sobre processo político no Iêmen serão retomadas na próxima semana

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud