Ban lamenta falta de acordo sobre não-proliferação nuclear
BR

23 maio 2015

Secretário-geral disse estar preocupado com falta de visão coletiva para o Médio Oriente livre de armas nucleares; chefe da ONU disse estar pronto para apoiar esforços para diálogo inclusivo na região após conferência em Nova Iorque.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O secretário-geral expressou desapontamento porque não foi alcançado um “resultado substancial” na Conferência de Revisão das Partes do Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares de 2015.

Ban Ki-moon disse que lamenta particularmente a incapacidade dos Estados-partes de reduzir as suas diferenças sobre o futuro do desarmamento nuclear.

Visão Coletiva

Em nota, emitida este sábado pelo seu porta-voz, destaca ainda o facto de não se ter chegado a uma nova visão coletiva sobre como garantir um Médio Oriente livre de armas nucleares e de todas as outras armas de destruição em massa.

As decisões das conferências de revisão são feitas a cada cinco anos. A mais recente decorreu em um mês, até esta sexta-feira, em Nova Iorque.

O apelo de Ban é que Estados-partes mantenham a dinâmica dos últimos cinco anos, incluindo novas iniciativas em busca do desarmamento nuclear continuando os esforços para reforçar a não-proliferação nuclear.

Diálogo Regional

Em relação ao Médio Oriente, o secretário-geral disse que continua pronto para apoiar os esforços para promover e sustentar o diálogo regional inclusivo para alcançar este objetivo.

A sua expectativa é que a crescente consciência das consequências humanitárias arrasadoras do uso de armas nucleares continue a obrigar a tomar medidas urgentes e efetivas que levem à proibição e eliminação das armas nucleares.

Leia Mais:

Entrevista: Cristian Wittmann

Embaixador brasileiro: TNP é o principal tratado na área de desarmamento