Mali: mais de 20 mil fugiram das suas casas devido à violência numa semana

22 maio 2015

Ação de grupos armados ocorre no norte; Ocha coordena atividades com agências do país para o alcance dos afetados; milhares vivem em povoações ao longo da margem do rio Níger.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Escritório das Nações Unidas para Assistência Humanitária, Ocha, anunciou  esta sexta-feira que está a tentar ter acesso a áreas do norte do Mali para entregar ajuda a milhares de deslocados pela violência.

O destaque vai para o distrito de Gourma Rharous, onde mais de 15 mil pessoas estariam dispersas. O Ocha disse estar a coordenar as ações com entidades locais para que essas áreas sejam alcançadas.

Pilhagem

A agência disse que grupos e indivíduos armados atacaram, desalojaram, saquearam casas e pilharam lojas e animais de civis em Timbuktu.

Nas últimas duas semanas, estima-se que 27 mil pessoas tenham deixado as suas casas e aldeias da região maliana. Na semana passada, a violência desalojou 20 mil pessoas que viviam na área.

Necessidades

Os deslocados vivem em abrigos temporários ou com famílias de acolhimento em grandes povoações da margem sul do rio Níger. As maiores necessidades incluem água, alimentos, artigos não alimentares e abrigos.

No terreno, algumas agências humanitárias começaram a posicionar-se para distribuir ajuda alimentar de emergência.

Entretanto, o Ocha anunciou a chegada do novo coordenador humanitário no Mali, que foi nomeado no princípio do mês. Mbaranga Gasarabwe sucede a David Gressly, que recentemente completou a sua missão no país africano.

*Apresentação: Denise Costa.

Leia Mais:

Diversidade cultural é patrimônio comum e oportunidade para humanidade

Ban elogia assinatura de pacto de paz e reconciliação no Mali

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud