Agência da ONU elogia oferta de abrigo a migrantes no mar no sudeste asiático
BR

20 maio 2015

Decisão foi anunciada após negociações de emergência entre líderes diplomáticos da Malásia, da Indonésia e da Tailândia; Acnur declarou que a medida é vital para salvar vidas; estimativas são que somente esta semana, cerca de 3 mil pessoas chegaram à costa.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

Segundo o Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, a oferta de abrigo temporário a 7 mil migrantes encalhados no mar de Andaman é um "passo inicial importante" na busca de soluções para a questão.

De acordo com agências de notícias, o acordo foi alcançado por ministros das Relações Exteriores da Malásia, da Indonésia e da Tailândia. O objetivo é resolver a questão das pessoas retidas em barcos na Baía de Bengala e na costa do sudeste da Ásia.

Salvar Vidas

O Acnur declarou que a medida é vital para salvar vidas. A agência considera urgente que essas pessoas sejam transportadas para terra e que todos os que precisam recebam imediatamente os primeiros socorros.

O anúncio da decisão foi feito pelo ministro malaio das Relações Exteriores, Anifah Aman, após negociações de emergência com os equivalentes indonésio e tailandês em Kuala Lumpur.

Rejeitados

De acordo com as informações, o acordo só seria vigente para as pessoas que já estão no mar. Dos três países, a Tailândia é a única que não vai abrigar os migrantes.

Estimativas são de que somente esta semana, cerca de 3 mil cidadãos do Bangladesh e da etnia Rohingya, do Mianmar, chegaram à costa. Muitos foram rejeitados.

Causas

O Acnur disse concordar com os ministros que serão necessárias novas medidas para lidar com a questão, mas realça que devem ser abordadas as suas principais causas.

De acordo com o Acnur, como acontece com outras regiões do mundo com grandes movimentos migratórios pelo mar, os países da região terão de trabalhar em conjunto para abordar o tema de forma significativa e com sucesso.

A agência da ONU diz estar pronta para trabalhar com os Estados da região para encontrar soluções. Essas medidas podem incluir o retorno voluntário aos países de origem assim que as condições permitam.

A Organização Internacional para Migrações, OIM, saudou o compromisso da Indonésia e da Malásia de permitir que milhares de migrantes, atualmente abandonados no mar por contrabandistas, desembarquem e recebam assistência vital.

*Apresentação: Michelle Alves de Lima.

Leia Mais:

ONU pede a países do sudeste asiático que protejam migrantes no mar