OMS alerta para crise humanitária pela entrada de burundeses na Tanzânia

19 maio 2015

País anfitrião pediu pessoal de saúde e dinheiro para lidar com fluxo de refugiados; agência confirmou 13 casos de cólera; diarreia aguda afeta mais de mil recém-chegados.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A Organização Mundial da Saúde, OMS, disse que a Tanzânia pediu apoio para lidar com a crise humanitária causada pela chegada de refugiados do vizinho Burundi.

As autoridades tanzanianas precisam de pessoal de saúde e de fundos, disse a  agência após confirmar os 13 casos de cólera e mais de 1 mil casos de diarreia aguda nos acampamentos. O problema começou com a notificação de 15 pacientes no dia 13 de maio.

População

A situação é considerada particularmente preocupante no vilarejo de Kagunga, que desde abril viu crescer a sua população de cerca de 11, 3 mil para mais de 90 mil pessoas.

Para a OMS, há uma necessidade de reforçar os mecanismos de coordenação e aumentar a prestação de serviços de cuidados de saúde, abrigos, alimentação e proteção das populações de alto risco.

Água e Saneamento

Nos postos de saúde, há falta funcionários e não há medicamentos, suprimentos essenciais e instalações de água e saneamento suficientes.

A agência lembra que os deslocamentos em massa atingiram o seu pico nos últimos dias. As chegadas diárias subiram de 500 a 2 mil, pressionando a  infraestrutura de saúde.

A situação geral é marcada pelo espaço limitado nos campos, por práticas precárias de higiene além de instalações sanitárias inadequadas e o consumo de água imprópria.

*Apresentação: Denise Costa.

Leia Mais:

Confirmados casos de cólera em áreas que acolhem burundeses na Tanzânia

Acnur: ações contra surto de diarreia entre refugiados na Tanzânia