Mais de 250 conflitos afetaram o mundo na última década, segundo Ban
BR

13 maio 2015

Conselho de Segurança realiza debate sobre armas de pequeno porte, que matam 50 mil pessoas por ano; secretário-geral Ban Ki-moon ressalta aumento de confrontos e ampla disponibilidade de armamentos.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

O Conselho de Segurança promove esta quarta-feira um debate sobre armas leves e de pequeno porte. No órgão, o secretário-geral da ONU declarou que essas armas matam 50 mil homens, mulheres e crianças por ano no mundo.

Ban Ki-moon ressaltou que os civis são os que mais sofrem com a utilização dos armamentos. A violência leva muitas pessoas a deixar suas casas, gerando um nível de deslocados não visto desde a Segunda Guerra Mundial.

Segundo o secretário-geral, o mundo foi afetado por mais de 250 conflitos na última década, sendo que o fator comum nos confrontos é a ampla disponibilidade de munições e armas de pequeno porte.

No Conselho, Ban Ki-moon disse que o desvio de armas, incluindo dos estoques dos governos, alimenta novos conflitos e reforça o poder de fogo de rebeldes, grupos criminosos, piratas, terroristas e insurgentes.

Ban sugeriu medidas para combater a proliferação de armas ilícitas, como maior troca de informações operacionais sobre o tráfico, com padrões e diretrizes desenvolvidos pelas Nações Unidas.

O debate contou também com a participação do alto comissário da ONU para os Direitos Humanos. Para Zeid Al Hussein, a aplicação das leis sobre controle, produção e uso de armas leves e de pequeno porte continua fraca.

Na avaliação de Zeid, a razão é clara: o comércio de armas de pequeno porte é um negócio multibilionário. O alto comissário de Direitos Humanos disse que o custo humano e econômico da violência armada ultrapassa centenas de bilhões de dólares.

*Apresentação: Leda Letra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud