Civis afectados pela violência do Boko Haram a sofrer de má nutrição

Grupo de refugiadas nigerianas que deixaram o país após os ataques do Boko Haram. Foto: Acnur/D. Mbaoirem

Civis afectados pela violência do Boko Haram a sofrer de má nutrição

Programa Mundial de Alimentos, PMA, fala em milhares de crianças e de mulheres nos Camarões, Níger e Chade a sofrer com a falta de comida; agência da ONU já forneceu assistência a mais de 100 mil refugiados e deslocados internos.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Programa Mundial de Alimentação, PMA, afirma que milhares de mulheres e de crianças em regiões afetadas pela violência do Boko Haram enfrentam a época fraca de colheitas e com isso, correm o risco de ficar desnutridas.

As ameaças dos insurgentes da Nigéria já se refletem nos vizinhos Camarões, Níger e Chade. Entre os meses de janeiro e março, o PMA forneceu assistência alimentar para mais de 100 mil refugiados, deslocados internos e pessoas vulneráveis nesses países.

Falta de Verbas

Cerca de 30 mil crianças e mães a amamentar também receberam do PMA tratamento contra a má nutrição em várias áreas afectadas pela violência do Boko Haram.

Mas devido à falta de financiamento adequado, a agência da ONU conseguiu assistir apenas menos da metade das pessoas do que o planeamento inicial. Nos Camarões, muitos deslocados internos ficaram sem ajuda por quatro meses. A assistência retornou em abril, mas de forma reduzida.

O PMA também está preocupado com a situação de nutrição precária em alguns locais próximos à fronteira com o norte da Nigéria. As taxas de má nutrição entre crianças menores de cinco anos ultrapassa os 15%.

Leia Mais:

Sudão do Sul e RD Congo entre os países com maior número de desalojados

Unfpa acompanha mais de 200 grávidas resgatadas do Boko Haram

Unfpa quer reintegrar rapidamente meninas sequestradas pelo Boko Haram