ONU continua empenhada em ajudar Burundi a reencontrar paz e tranquilidade

30 abril 2015

Declaração é do porta-voz da Missão da ONU no Burundi, Menub; Vladimir Monteiro afirmou que situação em alguns bairros de Bujumbura “permanece tensa com confrontos entre a polícia e manifestantes”.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O porta-voz da Missão da ONU no Burundi, Menub, afirmou esta quinta-feira que a situação em alguns bairros da capital Bujumbura “permanece tensa com confrontos entre a polícia e manifestantes”.

Em entrevista à Rádio ONU, Vladimir Monteiro, declarou que a “ONU continua empenhada em ajudar o país a reencontrar paz e tranquilidade”.

Manifestações

“Com a presença do enviado especial do secretário-geral das Nações Unidas para a região dos Grandes Lagos, ele tem mantido os contatos com as diferentes autoridades, hoje com o primeiro vice-presidente, com os media. Entretanto, a situação nas ruas de Bujumbura, em alguns bairros periféricos, mantém-se tensa com confrontos entre a polícia e manifestantes. Entretanto, as Nações Unidas continuam empenhadas, as Nações Unidas e outros parceiros para ajudar o Burundi a reencontrar a paz e a tranquilidade”.

Segundo as Nações Unidas, pelo menos cinco pessoas morreram e mais de 21 mil fugiram do Burundi desde o início das manifestações no fim de semana.

Esta quarta-feira, o porta-voz considerou preocupantes as medidas contra a informação no país e mencionou exemplos de bloqueios na comunicação.

Bloqueio à Comunicação

Segundo ele, “Whatsapp e Viber são serviços que foram cortados e algumas rádios viram as linhas telefónicas cortadas”.  Vladimir Monteiro citou ainda que a casa da imprensa foi encerrada e a Rádio Pública Africana, RPA, foi fechada na segunda-feira.

A série de restrições seguiu-se a protestos iniciados neste domingo, contra nomeação do presidente Pierre Nkurunzinza como candidato a um terceiro mandato. A decisão foi tomada pelo partido governante no fim de semana.

Leia Mais:

Missão no Burundi diz que “medidas contra a informação” preocupam