Ban condena ataques aéreos no acampamento de Yarmouk, na Síria
BR

29 abril 2015

Secretário-geral lembra dos “milhares de civis que estão no local e isolados pela presença de terroristas e grupos armados dentro do campo e por forças do governo do lado de fora”; comboio da agência da ONU leva itens essenciais aos civis.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O secretário-geral da ONU condenou fortemente os bombardeios aéreos contra o campo para refugiados de Yarmouk, que fica em Damasco, capital da Síria. Segundo Ban Ki-moon, apesar das “garantias do governo de que o acampamento não seria atacado”, a ação ocorreu na terça-feira.

Ban está em Paris e numa nota divulgada por seu porta-voz, o chefe da ONU lembra dos “milhares de civis que estão sitiados pela presença de terroristas e outros grupos armados dentro do campo e por forças do governo do lado de fora”.

Comboio

O secretário-geral pede ao governo sírio para pôr um fim imediato a qualquer operação militar que possa colocar em risco a vida dos civis em Yarmouk. Ban destaca ser obrigação proteger os civis, de acordo com as normas internacionais.

Ele também faz um novo apelo às partes em conflito para acabar imediatamente com a violência e para que os civis sitiados em Yarmouk possam receber assistência. Também nesta quarta-feira, a Agência de ONU de Assistência aos Refugiados Palestinos, Unrwa, participou de um grande comboio que levou itens de ajuda aos civis.

Vacinação

A agência começou uma campanha de vacinação para pessoas de Yarmouk que estão vivendo temporariamente na localidade vizinha de Yalda. Equipes de saúde da Unrwa estão em Yalda, tratando 325 pacientes por dia e vacinando crianças.

A Unrwa também forneceu ajuda para que duas cozinhas comunitárias possam alimentar 900 pessoas por uma semana. Civis de Yalda, Babila e Beit Saham receberam 1,2 mil pacotes de pão.

Verbas

As equipes da Unrwa também conseguiram entregar na Síria medicamentos, kits para purificação de água, colchões, cobertores, kits de higiene e de cozinha. Mas a agência alerta que a vulnerabilidade dos civis isolados em Yarmouk continua sendo muito severa.

Com a continuação da violência no país, a Unrwa está preocupada com a possibilidade dos 18 mil sírios e palestinos de Yarmouk ficarem sem acesso a itens básicos.

Outra preocupação é com a falta de financiamento, já que a agência ainda precisa de US$ 30 milhões para ajudar os civis sitiados na Síria.

Leia Mais:

14 milhões de pessoas estão deslocadas pelas crises na Síria e no Iraque

Unrwa consegue levar água e alimentos para Yarmouk

Ban: milhões sofrem por falhas de governos e abusos de direitos humanos 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud