Tráfico de vida selvagem movimenta pelo menos US$ 23 mil milhões

29 abril 2015

Estimativas são de custos anuais; números foram informados por Paul Harrison, conselheiro do Pnud e especialista sobre o assunto, em entrevista à Rádio ONU; líderes africanos estão reunidos na República do Congo para discutir a questão.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O comércio ilegal da vida selvagem é “extremamente custoso”. A afirmação é do conselheiro do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud, para a Aplicação da Lei na área.

Em entrevista à Rádio ONU, da República do Congo, Paul Harrison afirmou que este é um dos cinco maiores comércios ilegais do mundo e movimenta pelo menos US$ 23 mil milhões por ano.

Conferência Internacional

O conselheiro está em Brazzaville, capital do país africano, onde participa da Conferência Internacional sobre o Comércio Ilegal de Fauna e Flora Selvagens.

Chefes de Estado, representantes de governos e especialistas também estão presentes no encontro. As Nações Unidas estão representadas com várias agências na conferência, apoiadas por entidades como a Comissão da União Africana, UA.

O objetivo é criar o primeiro plano de ação comum para o fim do comércio ilegal da vida selvagem em África.

Apreensão

Segundo agências de notícias, autoridades das alfândegas da Tailândia recentemente afirmaram ter feito a maior apreensão de marfim contrabandeado na história do país. O ponto de origem seria África.

De acordo com especialistas, os prejuízos dos crimes ambientais contra a fauna e a flora africanas incluem a extração de madeira, a caça ilegal e o tráfico de vários animais.

A conclusão é da Organização para a Cooperação Económica e Desenvolvimento, do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, Unodc, do Programa da ONU para o Meio Ambiente, Pnuma, e da Interpol.

Leia Mais:

Líderes africanos reunidos para combater crime contra a vida selvagem

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud