Banco Mundial prevê estabilidade dos preços de matérias-primas este ano

23 abril 2015

Barril do petróleo deve custar até US$ 53 este ano e subir ligeiramente em 2016; relatório prevê que custos de produtos de outros setores também continuem baixos.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O bom fornecimento aos mercados continua a fazer baixar os preços das matérias-primas em todos os setores.

A constatação do Banco Mundial vem no relatório intitulado Perspetivas de Mercado de Matérias Primas, que destaca a queda ligeira na maioria dos índices no primeiro trimestre de 2015.

Recuperação

No período,  os alimentos baixaram 7,3%, o petróleo bruto 13% e os metais 9% em comparação com o último trimestre do ano passado.  No resto deste ano, os preços devem continuar baixos, esperando-se uma recuperação em 2016.

O diretor do Grupo de Previsões de Desenvolvimento do Banco Mundial, Ayhan Kose,  disse que a depressão dos preços das matérias-primas deve-se ao excedente de produção e o abrandamento da procura com o fraco crescimento global.

Por outro lado, a desaceleração nas economias emergentes aliada ao dólar forte "provavelmente deverão manter a estabilidade dos preços".

Exportadores

Apesar de custos baixos significarem menos receitas para os países exportadores, o Banco Mundial diz acreditar que estes ajudem a reduzir a conta corrente e os deficits fiscais em muitos importadores de matérias-primas.

O petróleo bruto custou cerca de US$ 51,6 por barril no primeiro trimestre de 2015 ao contrário dos US$ 74,6 do trimestre anterior. A previsão do Banco Mundial é que o custo do produto ronde US$ 53 este ano, e venha a recuperar para US$ 57 em 2016.

Leia Mais:

Países em desenvolvimento geraram US$ 3,2 biliões em matérias-primas

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud