Nigéria: OMS promete mais apoios após investigar morte de 19 pessoas

21 abril 2015

Investigação preliminar constata que causa de óbitos teria sido bebida alcoólica contaminada por metanol; antes de morrer, pacientes tiveram vista embaçada, dores de cabeça, além da perda de consciência.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Após 19 mortes por consumo de bebida local "contaminada por metanol" na Nigéria, a Organização Mundial da Saúde, OMS, garantiu dar apoio às autoridades sanitárias locais para reforçar a segurança comunitária.

O representante da agência da ONU no país, Rui Gama Vaz, disse que esta vai dar apoio técnico para vigiar riscos associados e criar consciência com vista a reverter futuras situações do género.

Sintomas

Desde quarta-feira, as autoridades registaram 24 casos do que era considerada uma "doença misteriosa" em duas comunidades de Irele, no estado de Ondo, a sudoeste.

Os sintomas relatados pelos pacientes incluíam vista embaçada, dor de cabeça e perda de consciência, seguidos de morte em apenas 24 horas.

Investigação

Técnicos da agência da ONU e de várias entidades do governo seguiram para o local e constataram que os casos foram relatados em homens entre 20 e 75 anos. De acordo com as investigações, 71% eram agricultores que tinham consumido a bebida.

O ministro da Saúde da Nigéria disse esta segunda-feira que as "investigações epidemiológicas e laboratoriais preliminares constataram que a doença não era infecciosa". Ele declarou, entretanto, que as pesquisas continuam.

Fidelis Nwankwo contou ainda que a situação estava controlada porque tinham passado "100 horas sem novos casos e três dias sem óbitos relacionados".

Leia Mais:

OMS afirma que consumo de tabaco caiu no mundo

OMS alerta que consumo excessivo álcool mata seis pessoas por minuto

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud