Unicef: 800 mil crianças foram forçadas a fugir da violência na Nigéria
BR

13 abril 2015

Documento do Fundo da ONU para a Infância revela que o número mais do que dobrou em menos de um ano; dados da agência foram publicados para marcar um anos do sequestro de 200 meninas em uma escola em Chibok.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

Cerca de 800 mil crianças foram forçadas a fugir de suas casas na Nigéria por causa do conflito no nordeste do país entre o grupo Boko Haram, forças militares e grupos civis de autodefesa.

Os dados estão em novo relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, divulgado nesta segunda-feira.

Infâncias Perdidas

O documento marca um ano do sequestro de mais de 200 meninas em uma escola em Chibok. O relatório “Infâncias Perdidas” revela que o número de crianças fugindo para salvar suas vidas dentro da Nigéria ou atravessando as fronteiras para o Chade, Níger e Camarões mais do que dobrou em menos de um ano.

Segundo o documento, os menores têm sido usados pelo grupo Boko Haram como combatentes, entre outras funções. Estudantes e professores foram alvos deliberados de ataques. Mais de 300 escolas foram danificadas ou destruídas e pelo menos 196 professores e 314 estudantes foram mortos até o fim de 2014.

Meninas

Já mulheres e meninas têm sido submetidas ao trabalho e ao casamento forçados e também são vítimas de estupro. Segundo o diretor regional do Unicef para a África Central e Ocidental, Manuel Fontaine, “o sequestro de mais de 200 meninas em Chibok foi apenas uma das tragédias sem fim sendo replicadas em uma escala épica na Nigéria e região”.

Ele afirmou ainda que “meninos e meninas têm desaparecido no país de várias maneiras: sequestrados, recrutados por grupos armados, atacados, usados como armas ou forçados a fugir da violência”.

Para o diretor regional da agência da ONU, essas crianças “têm o direito de ter suas infâncias de volta”.

Redes Sociais

O Unicef está chamando atenção ao impacto arrasador do conflito sobre as crianças na região usando a hashtag # bringbackourchildhood.

Como parte desta iniciativa, a agência da ONU está usando a plataforma social Snapchat, onde mensagens desaparecem, para destacar a difícil situação de centenas de milhares de crianças.

Para contar a história dos menores que fugiram da violência, serão usadas imagens baseadas em desenhos de crianças na Nigéria, Chade, Níger e Camarões.

O público também é convidado a participar. Pessoas podem compartilhar do que sentiriam mais falta se fossem forçadas a sair de casa, tanto no Snapchat ou em outras redes sociais usando a # bringbackourchildhood.

Ajuda Humanitária

Mais de 1,5 milhão de pessoas fugiram de suas casas por causa da violência no país africano. Isto inclui 1,2 milhão de deslocados internos na Nigéria e cerca de 200 mil que atravessaram a fronteira para os vizinhos Camarões, Chade e Níger.

O Unicef aumentou sua resposta humanitária à crise. Nos últimos seis meses, o Fundo forneceu apoio psicossocial a mais de 60 mil crianças afetadas pelo conflito na região.

O Fundo também está trabalhando com parceiros para fornecer água, serviços de saúde, tratamento para crianças desnutridas e espaços temporários de aprendizado.

Com grave escassez de financiamento, o Unicef  está pedindo a doadores internacionais que aumentem seu apoio às ações humanitárias na Nigéria e países vizinhos.

Leia Mais:

Necessários US$ 174 milhões para ajudar vítimas do conflito na Nigéria

Gordon Brown: "Houve mais de 10 mil ataques a escolas nos últimos cinco anos"