Ban afirma que Yarmouk “é o mais profundo círculo do inferno”
BR

9 abril 2015

Secretário-geral disse que a guerra na Síria já excedeu todas as palavras para descrever a crise; ele alertou que “o campo de refugiados está começando a parecer um campo da morte”.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.*

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que o campo de refugiados de Yarmouk, na Síria, “é o mais profundo círculo do inferno”.

Em pronunciamento na sede das Nações Unidas, Ban disse que “a guerra na Síria já excedeu todas as palavras possíveis para descrever a crise”.

Campo da Morte

O chefe da ONU declarou que “o campo de refugiados de Yarmouk está começando a parecer um campo da morte”.

Ele disse que por mais de dois anos de um cerco impiedoso, 18 mil refugiados palestinos e sírios estão sendo mantidos como reféns por militantes do Daesh e de outros grupos extremistas.

Ban afirmou que os residentes de Yarmouk, incluindo 3,5 mil crianças, estão sendo usados como “escudos humanos”. Eles enfrentam indivíduos armados dentro do acampamento e as forças do governo sírio do lado de fora.

O secretário-geral citou relatos de agressões maciças contra o acampamento e todos os civis que estão abrigados no local. Para Ban, esse é mais um “crime de guerra” cujos responsáveis devem prestar contas.

Conselho de Segurança

O chefe da ONU disse que é necessário estabilizar a situação em Yarmouk imediatamente. Junto com o Conselho de Segurança, Ban exige o fim das hostilidades, acesso à assistência humanitária e passagem segura para os civis que queiram deixar a região.

Ele pediu a todos os Estados-membros com influência sobre o governo e as partes em conflito que enviem uma mensagem clara de que os civis devem ser salvos e protegidos.

Ban afirmou que “a catástrofe humanitária em Yarmouk representa um teste para a comunidade internacional resolver”.

Segundo o secretário-geral, chegou o momento de uma ação coordenada para salvar vidas e restaurar a humanidade. Ele disse que “o mundo não pode ficar observando a ocorrência de um massacre” e que a população de Yarmouk não pode ser abandonada.

*Apresentação: Leda Letra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud