Pnuma apoia nova obra que expõe processo de reconstrução pós-conflito

6 abril 2015

Livro defende que a medida reforça segurança alimentar e garante mais empregos; casos da Serra Leoa e da Somália entre os 18 cenários refletidos na obra com apoio das Nações Unidas.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Após um conflito armado, a reconstrução dos meios de subsistência é fundamental para consolidar a paz e restaurar a economia.

A conclusão é de um novo estudo, lançado esta segunda-feira, envolvendo o Programa da ONU para o Meio Ambiente, Pnuma. Na parceria, estão o Instituto de Direito Ambiental e a Universidade de Tóquio, McGill do Canadá e a norte-americana Tufts.

Segurança Alimentar

O estudo Meios de Subsistência, Recursos Naturais e Consolidação da Paz Pós-Conflito defende que "restabelecer os meios de subsistência com base em recursos naturais pode reforçar a segurança alimentar e garantir o emprego".

Os outros benefícios são o apoio na reintegração de ex-combatentes e de outros grupos vulneráveis, além das possibilidades de cooperação entre as partes que antes estavam em conflito.

A publicação combina o conhecimento e a experiência em campo de profissionais, pesquisadores, ativistas da sociedade civil e outros associados à subsistência e à consolidação da paz pós-conflito de todo o mundo.

Casos de países como Afeganistão, Camboja, Serra Leoa, Colômbia e Somália constam dentre os 18 cenários da obra sobre meios de subsistência de 16 territórios de África, da Ásia, da Europa, da Américas e do Médio Oriente.

Recursos

Combinados, os estudos ilustram a teoria da mudança por detrás das intervenções de subsistência pós-conflito com base na gestão sustentável dos recursos naturais.

O director executivo Achim Steiner, disse que reconstruir a vida nos países pós-conflito é um componente vital da construção da paz e da recuperação económica.

Achim Steiner refere que quando as comunidades são afetadas por conflitos, estas dependem de recursos naturais para garantir a subsistência. Daí, as soluções de construção da paz devem atender às necessidades dos mais pobres e vulneráveis.

Incentivo

A outra vantagem é a gestão sustentável destes recursos num contexto do futuro planeamento do desenvolvimento, além do incentivo à distribuição equilibrada da ajuda ao desenvolvimento.

A obra cita entre os desafios pós-conflito o equilibrio de contrapartidas, prioridades de intervenções para a subsistência e a reforma institucional, além de vantagens e desvantagens de uma abordagem baseada no mercado.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud