Agência da ONU pede fim de combates e proteção de civis em Yarmouk
BR

6 abril 2015

Para Urnwa, as vidas de civis “nunca estiveram tão profundamente ameaçadas” no local perto da capital Damasco; entre os residentes sitiados estão 3,5 mil crianças.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

Com a intensificação dos combates perto de Yarmouk, na Síria, a Agência das Nações Unidas de Assistência a Refugiados Palestinos, Unrwa, fez um forte apelo no domingo.

O pedido é que todos os envolvidos interrompam o confronto que coloca civis em grande risco e saiam imediatamente de áreas habitadas pelas populações.

Gravidade

Em comunicado, a agência da ONU destacou a gravidade da situação no campo de refugiados palestinos de Yarmouk, em Damasco, e pediu às partes moderação e respeito às suas obrigações sob a lei internacional de proteger civis.

A Unrwa pediu aos Estados envolvidos que urgentemente usem sua autoridade e influência para acabar com os combates no local, pelo bem das populações.

Ao mesmo tempo, a agência pediu acesso humanitário e criação de condições seguras para que possa distribuir assistência e permitir que civis sejam retirados.

Vidas Ameaçadas

A área tem sido cenário de intensos combates desde o dia 1º de abril, tornando a saída de civis virtualmente impossível. Segundo a Unrwa, cerca de 18 mil pessoas já estavam presas há mais de 2 anos.

Em nota, a agência afirmou que “as vidas de civis em Yarmouk nunca estiveram tão profundamente ameaçadas”, citando homens, mulheres e crianças, tanto sírios como palestinos. Entre os residentes sitiados no local estão 3,5 mil crianças.

Leia Mais:

Agências da ONU pedem mais apoio e dinheiro para a Síria

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud