Projeto quer baixar casos de doença e morte materno-infantil em Moçambique

1 abril 2015

Acordo com agência coreana de cooperação deve garantir os US$ 7 milhões da iniciativa; agências da ONU, governo do país e organizações não-governamentais vão executar atividades em quatro anos.

Ouri Pota, da Rádio ONU em Maputo*

Moçambique terá a partir desta quinta-feira o Programa de Redução da Morbilidade e Mortalidade Materna e dos Recém-nascidos a ser gerido pelo Fundo das Nações para a População, Unfpa.

A entidade e a Agência Coreana de Cooperação Internacional, Koica, devem formalizar o acordo para a iniciativa orçada em mais de US$ 7 milhões.

Cabo Delgado

O montante doado pelas autoridades coreanas deve contribuir para diminuir a morbilidade e a mortalidade materna e neonatal no país, refere um comunicado do Unfpa.

A província de Cabo Delgado, no norte do país, deve merecer maior atenção durante o programa de quatro anos.

Planeamento Familiar

A iniciativa deve reforçar o sistema sanitário para melhorar os serviços de saúde materna e neonatal, assim como reforçar o envolvimento e a capacidade das comunidades para promover a saúde materna e o planeamento familiar.

Além do Unfpa, a gestão do Projeto de Redução da Morbilidade e Mortalidade Materna envolve a Organização Mundial da Saúde, OMS. A implementação será levada a cabo pelo Governo de Moçambique e por organizações não-governamentais.

*Apresentação: Eleutério Guevane.

Leia Mais:

Entrevista: vulnerabilidade feminina e HIV em Moçambique

Taxa de HIV em meninas é o triplo em relação aos rapazes em Moçambique

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud