Escritório de direitos humanos da ONU condena ataque terrorista na Somália

31 março 2015

Ação resultou na morte de pelo menos 18 pessoas, entre elas o representante do país junto às Nações Unidas, em Genebra; segundo o órgão, embaixador tinha “papel crucial no avanço dos direitos humanos” na nação africana.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O escritório do alto comissário da ONU para direitos humanos, condenou de forma veemente o ataque ao hotel Maka al Mukarama, na capital da Somália,  Mogadíscio, que matou pelo menos 18 pessoas.

Entre os mortos na ação, em 27 de março, estava o representante do país junto às Nações Unidas em Genebra, Yusuf Mohamed Ismail “Bari Bari”.

Papel Crucial

Segundo o escritório, o embaixador tinha “papel crucial” no avanço dos direitos humanos na Somália.

O órgão afirmou que “sua morte trágica” aconteceu apenas um dias após uma resolução do Conselho de Direitos Humanos, adotada por consenso, criar o mandato de um especialista independente sobre o direito das pessoas com albinismo.

Bari Bari foi o primeiro diplomata a defender que a situação pessoas com albinismo fosse colocada na agenda no Conselho.

O escritório do alto comissário da ONU para direitos humanos enviou pêsames à família do embaixador e às famílias de todas as vítimas do ataque.

Leia Mais:

ONU terá relator sobre direitos de pessoas com albinismo

Somália: ONU e União Africana pedem mais medidas contra violência sexual

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud