Doadores prometem US$ 3,8 bilhões para ajudar afetados pela crise na Síria
BR

31 março 2015

Valor é equivalente a cerca de R$ 12,3 bilhões; conflito no país completou quatro anos; Aproximadamente 12,2 milhões de pessoas, quase metade  crianças, precisam de assistência humanitária no momento.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

Doadores internacionais prometeram US$ 3,8 bilhões, o equivalente a cerca de R$ 12,3 bilhões, para contínua ajuda a milhões de pessoas afetadas pelo conflito na Síria, que completou quatro anos este mês.

A 3ª Conferência Humanitária Internacional para o país aconteceu no Kuwait nesta terça-feira.

Solidariedade

O secretário-geral da ONU, que presidiu o encontro, afirmou que a “comunidade internacional se reuniu em solidariedade com a população da Síria e de países vizinhos” que estão abrigando milhões de refugiados sírios.

Cerca de 12,2 milhões de pessoas, incluindo 5,6 milhões de crianças, precisam de assistência humanitária no momento. Este número é 12 vezes maior do que quando a crise começou.

Segundo o subsecretária-geral para Assuntos Humanitários, Valerie Amos, pessoas experimentaram altos níveis de “violência e selvageria” na Síria. Ela afirmou que estes recursos vão ajudar organizações humanitárias a entregar, entre outras coisas, comida, água, abrigo, cuidados de saúde a milhões de pessoas com necessidades urgentes

Refugiados

Muitos dos 3,9 milhões de refugiados em países vizinhos à Síria enfrentam uma “luta diária por sobrevivência”.

Cerca de 600 mil estão fora da escola, 2,4 milhões precisam de ajuda alimentar e 1,4 milhões muito vulneráveis precisam de ajuda em dinheiro.

De acordo com o alto comissário da ONU para Refugiados, “as esperanças dos refugiados sírios de retornarem a suas casas em breve estão diminuindo com a piora da crise”. Para António Guterres, “é vital aumentar o apoio a eles, não só para que possam sobreviver, mas viver com dignidade e alguma esperança para o futuro”.

Segundo o alto comissário, isto também significa apoiar os países que estão abrigando os refugiados.

A chefe do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud, afirmou que “Líbano, Jordânia, Iraque, Egito e Turquia estão abrigando um número inédito de refugiados sírios”. Helen Clark afirmou que a “comunidade internacional deve acelerar seu apoio à resposta que apoie a solidariedade mostrada por países e comunidades anfitriãs”.

Desenvolvimento

A crise também está tendo um “impacto arrasador” no desenvolvimento. Nos últimos quatro anos, a Síria passou de um país de renda média para um onde duas em cada três pessoas vivem em condição de extrema pobreza.

Em janeiro de 2014, a segunda conferência no Kuwait levantou US$ 2,4 bilhões e 90% destes recursos foi recebido para fornecer ajuda vitar a milhões de famílias na Síria e na região.

No ano passado, 8,9 milhões de pessoas receberam itens básicos de ajuda, mais de 5 milhões assistência alimentar e 2 milhões de crianças apoio para ir a escola.

Graças a estas contribuições, milhões receberam tratamento médico e tiveram acesso a água limpa. Milhões de refugiados em países vizinhos também receberam ajuda.

Agências da ONU e parceiros humanitários estão forncecendo assistência através de dois planos estratégicos para responder à crise dentro da Síria, as necessidades dos refugiados e o impacto em comunidades em países vizinhos.

Combinados, estes planos estratégicos pedem US$ 8,4 bilhões, o equivalente a R$ 27,2 bilhões.

Leia Mais:

Ban afirma sentir "vergonha" com continuação da guerra síria

António Guterres afirma que "situação na Síria se tornou insustentável"

ONU realiza conferência internacional para arrecadar fundos para a Síria

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud