Trabalhos da ONU no Iêmen seguem após realocação de pessoal
BR

30 março 2015

Cerca de 100 funcionários foram temporariamente remanejados do país, mas a organização manteve 700 pessoas atuando; OIM confirma pelo menos 40 mortos em ataque num acampamento para deslocados.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.*

O escritório do porta-voz do secretário-geral afirmou que a implementação de “programas críticos das Nações Unidas” continuam no Iêmen. A confirmação, nesta segunda-feira, vem após a organização realocar do país cerca de 100 funcionários, uma medida temporária.

Mas a ONU manteve boa parte de seu pessoal trabalhando no Iêmen, 700 pessoas, a maioria funcionários nacionais e 13 internacionais, incluindo representantes-sêniores de agências da ONU.

Ataques

Com a equipe, é possível coordenar programas e atividades críticas no país, trabalhar com parceiros, apoiar e fornecer assistência e liderança a todos os funcionários das Nações Unidas no Iêmen.

Também esta segunda-feira, a Organização Internacional para Migrações, OIM, confirmou à Rádio ONU em Genebra que pelo menos 40 pessoas morreram após um ataque aéreo no país.

A explosão ocorreu perto de um campo para refugiados, segundo o porta-voz da OIM, Joel Millman. Ele explicou que o ataque, na cidade de Harad, noroeste do Iêmen, deixou 200 pessoas feridas, sendo 25 em estado grave.

O representante da OIM afirmou que trabalhadores humanitários em outras regiões do país também relataram explosões, incluindo na capital do Iêmen, Sanaa.

*Apresentação: Laura Gelbert.

Leia mais:

Ban quer que líderes árabes reforcem parceria para segurança da região

Coordenador humanitário para o Iêmen pede proteção a civis no país

Ban: negociações permanecem a única opção para resolver a crise no Iêmen