ONU cria cargo de relator para direito à privacidade na era digital
BR

27 março 2015

Decisão acontece após resolução da Assembleia Geral, liderada por Alemanha e Brasil, que pedia ao Conselho de Direitos Humanos que criasse tal mandato.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.*

O Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas decidiu por unanimidade, na quinta-feira, nomear um novo relator especial, ou especialista, ao direito à privacidade na era digital.

Em novembro de 2014, a Terceira Comissão da Assembleia Geral da ONU adotou uma resolução sobre o Direito à Privacidade na Era Digital, proposta apresentada por Alemanha e Brasil.

Monitoramento

O objetivo dos dois países é combater o monitoramento indevido de informações e coleta de dados pessoais por países, entidades e indivíduos.

Em 2013, ao abrir os discursos da 68ª Assembleia Geral das Nações Unidas, a presidente do Brasil defendeu a criação de um marco civil internacional para a regulamentação da internet.

Dilma Rousseff começou seu discurso naquele ano lamentando revelações, na época recentes, “de uma rede de espionagem eletrônica" que provocaram indignação da opinião pública mundial.

*Apresentação: Leda Letra.

Leia Mais:

Nações Unidas adotam resolução sobre privacidade na era digital

Brasil e Alemanha buscam fortalecer resolução sobre privacidade na era digital

Dilma pede à ONU criação de marco internacional para regular internet