Especialista condena violações em massa dos direitos humanos no Mali

11 março 2015

Suliman Baldo é relator independente da ONU sobre o país; após recentes ataques que levaram à morte crianças e soldado de paz, especialista diz que partes envolvidas no conflito continuam a violar acordos de paz.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O especialista independente da ONU sobre os direitos humanos no Mali condenou o que considera “ataques repreensíveis” contra civis e contra soldados de paz das Nações Unidas.

Suliman Baldo está muito preocupado porque, na sua avaliação, “violações em massa dos direitos mais básicos continuam a ser um flagelo para populações que vivem em áreas afectadas por conflitos”.

Fragilidade

Baldo encerrou uma visita ao Mali na terça-feira e declarou que o acordo para o fim das hostilidades, assinado em 19 de fevereiro, é muito frágil. O especialista explicou que “as tensões criadas por uma situação nem de paz nem de guerra encorajaram os que não estão interessados na paz a sabotar esforços”.

Suliman Baldo relembrou os “recentes ataques terroristas” ocorridos no fim de semana. No sábado, cinco civis foram mortos na capital Bamako e no domingo, um ataque contra o quartel da Missão da ONU no Mali, Minusma, matou duas crianças e um soldado de paz, além de ferir 14 pessoas.

Sabotagem

O relator defende que os autores dos ataques sejam identificados e levados à justiça. Além disso, Baldo considera que as partes envolvidas no conflito continuam a violar constantemente o acordo pelo fim das hostilidades, na tentativa de expandir as suas áreas de controlo.

O especialista declarou que “grupos armados terroristas ou extremistas que não assinaram o acordo têm um óbvio interesse em sabotar qualquer processo que possa levar paz e estabilidade ao Mali”.

Tortura e Violações

Baldo destaca que o conflito é complexo, com multiplas dimensões, por se ampliar além das fronteiras. Por isso, ele diz que os governos e os movimentos da Plataforma e da Coordenação devem trabalhar em conjunto.

O relator de direitos humanos afirma que todas as partes envolvidas no conflito cometeram sérias violações, como desaparecimentos forçados, tortura, violência sexual, detenções arbitrárias e violação do direito de propriedade, com comunidades forçadas a deixar as suas casas com medo da violência.

Após a visita de investigação ao Mali, o especialista em direitos humanos prepara um relatório para o secretário-geral sobre a situação e o documento deve ficar pronto no fim do mês.

*Apresentação: Denise Costa.

Leia também:

Novo ataque no Mali mata soldado de paz da ONU

Conselho de Segurança condena ataque terrorista no Mali

Missão da ONU no Mali elogia acordo sobre reconciliação no país

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud