Teste da vacina contra ebola vai começar na Guiné
BR

5 março 2015

OMS, Ministério da Saúde guineense, Médicos Sem Fronteiras e outros parceiros lançam fase 3 do teste neste sábado; vacina foi desenvolvida no Canadá.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York

A Organização Mundial da Saúde, OMS, vai lançar neste sábado, na Guiné, a fase 3 para testar a eficácia da vacina VSV-Ebov na prevenção ao ebola.

O teste será feito em parceria com o Ministério da Saúde da Guiné, Médicos Sem Fronteiras, Epicentre e o Instituto de Saúde Pública Norueguês, Niph.

Trabalho Duro

O medicamento foi desenvolvido pela Agência de Saúde Pública do Canadá. Uma segunda vacina será testada em um estudo sequencial, quando o fornecimento estiver disponível.

A diretora-geral da OMS, Margaret Chan, mencionou o “trabalho duro” para chegar a este ponto e a “mobilização maciça” dos países afetados e todos os parceiros.

Ela afirmou ainda que se a vacina for realmente eficaz, será a “primeira ferramenta de prevenção contra o ebola na história”.

A vacinação vai acontecer em áreas da região conhecida como Basse Guinée, que atualmente tem o mais alto número de casos no país. A estratégia do teste será baseada na abordagem usada para erradição da varíola na década de 1970.

Zero Casos

Segundo a diretora-geral assistente Marie-Paule Kieny, que lidera as ações de pesquisa e desenvolvimento sobre ebola na OMS, a epidemia mostra sinais de  retrocesso, mas é preciso manter a guarda até que se chegue a zero casos.

Ela afirmou que “uma vacina eficaz para controlar os atuais surtos pode ser um divisor de águas para finalmente acabar com esta epidemia e uma segurança para futuras”.

A Missão de Emergência das Nações Unidas de Resposta ao ebola, Unmeer, informou nesta quinta-feira que a Libéria não registrou nenhum caso da doença na última semana.

Objetivos

O teste na Guiné tem dois objetivos: avaliar se a vacina protege os contatos que foram vacinados e, se vaciná-los vai criar um “anel” de indíviduos protegidos em volta do caso índice, ou inicial, para evitar que a doença se espalhe.

A vacinação também será proposta para os trabalhadores que estão na linha de frente da operação.

Instituições governamentais canadenses estão apoioando o teste através de treinamento e apoio às equipes de pesquisa africanas responsáveis pela iniciativa.

Desde setembro de 2014, as duas vacinas mais avançadas contra o ebola foram avaliadas em cerca de 15 países na África, Europa e América do Norte

Leia mais:

Em palco da ONU, artistas unem-se para apoiar esforços contra o ébola

Pnud: "resposta ao ebola está funcionando"

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud