ECA quer economia azul mais difundida em África

6 março 2015

Comissão integrou grupo que debateu o impacto da exploração de recursos hídricos na região oriental do continente; encontro decorreu até esta quinta-feira em Antananarivo.

Eleutério Guevane da Rádio ONU em Nova Iorque.

É importante que o conceito de economia azul ganhe terreno, disse à Rádio ONU o diretor do Escritório da Comissão Económica para África, ECA, na região oriental do continente.

António Pedro falava, de Kigali, sobre o encontro que até quinta-feira debateu o setor que, segundo a União Africana, é um dos "principais contribuintes para uma transformação e crescimento continental até 2063".

Energias

"Nós vemos a economia azul como uma economia que potencia a utilização dos recursos hídricos de diversas formas desde a utilização destes de diversas formas na indústria da pesca, no turismo, no aproveitamento de energias renováveis, na mineração ou  aproveitamento de energias renováveis. E todas estas atividades económicas têm impacto sobre o ambiente e sobre o clima."

Na capital  de Madagáscar, Antananarivo, a reunião teve lugar sob o tema Aproveitando a Economia Azul para o Desenvolvimento da África Oriental com os  14 países da região, agências das Nações Unidas e parceiros.

António Pedro explicou o conceito do aproveitamento dos recursos hídricos para a economia ao expôr o potencial existente no planeta.

Políticos

"É um discurso que segue a Conferência Rio+20 e que promove exatamente os mesmos princípios do desenvolvimento sustentável em que se pretende um equilíbrio entre os aspetos sociais, ambientais e económicos tendo como o centro os oceanos, os mares, os rios os lagos e etc. É importante que este conceito comece a ganhar terreno e a atenção dos políticos e não só, a nível do mundo e na África em particular."

O ECA defende que a produtividade do trabalho em setores ligados direta ou indiretamente à economia azul na África Oriental é maior que o desempenho médio nas suas economias. O setor das pescas na Tanzânia é 26% mais produtivo, enquanto no Uganda é cerca de 150% e em Madagáscar 500%.

A África Ocidental é considerada uma das regiões que regista o maior crescimento do Produto Interno Bruto no continente, após uma expansão de 6,6% entre 2009 e 2014.

Leia mais:

Portugal quer aumentar papel da economia azul em mais 50%, diz ministra

África defende impulso de crescimento com criação de zona de comércio livre

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud