ECA: países africanos perdem quase US$ 150 mil milhões com corrupção

5 março 2015

Preocupada com a tendência, Comissão Económica da ONU para África prepara um estudo sobre impactos para o sector público; ECA destaca que prática causa efeitos severos nos bens e nos serviços.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Comissão Económica da ONU para África, ECA, informa que os sistemas públicos do continente tem sido cada vez mais alvo de práticas corruptas, que afetam em especial bens e serviços públicos.

A ECA nota que os impactos da corrupção para a economia podem ser “severos”, uma vez que reduzem a qualidade dos serviços, aumentam os custos dos negócios, desencorajam os investimentos estrangeiros e levam à queda das receitas fiscais dos governos.

Desvio de Verbas

A Comissão da ONU calcula que os países africanos perdem, por ano, US$ 148 mil milhões com a corrupção. O sector de infraestrutura pode ser ainda mais vulnerável, o que causa preocupação, já que recursos financeiros para a transformação do continente podem ser desviados com práticas corruptas.

Para combater a corrupção e ajudar na melhora da governança em África, a divisão de Políticas Macroeconómicas da ECA está a preparar um estudo sobre corrupção nos serviços públicos de infraestrutura.

A proposta é mostrar efeitos negativos da prática e indicar recomendações a legisladores. Como ações de corrupção são muitas vezes “altamente secretas”, a ECA lembra ser difícil medir o impacto completo em qualquer economia.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud