Debate aberto no Conselho de Segurança marca 70 anos da Carta da ONU
BR

23 fevereiro 2015

No encontro, secretário-geral declara que mundo seria “mais sangrento sem as Nações Unidas”; mas Ban Ki-moon lembra que responsabilidade de prevenir conflitos é dos países-membros, que segundo ele, têm falhado na missão.

O Conselho de Segurança realiza esta segunda-feira um debate aberto sobre os 70 anos da Carta das Nações Unidas, tratado que estabeleceu a criação da ONU e define a função da organização e de órgãos como a Assembleia Geral e o próprio Conselho de Segurança.

No encontro, em Nova York, o secretário-geral lembrou que a ONU foi fundada para prevenir outra guerra mundial.

Balanço

Ban Ki-moon destacou que apesar da recorrência do genocídio e de conflitos armados, as últimas sete décadas teriam sido “muito mais sangrentas sem as Nações Unidas”.

Ban lembrou que a responsabilidade primária em prevenir conflitos é dos Estados-membros, destacando que a Carta da ONU é muito clara neste sentido. Ainda assim, “em muitas instâncias” os países têm falhado, declarou o secretário-geral.

Povo

Segundo ele, ações para prevenir conflitos e proteger os direitos humanos ajudam no alcance da soberania. Ban pediu para que se faça uma reflexão sobre o caso da Síria e a possibilidade da situação não ter “escalado de forma horrorosa” caso a resposta às violações no país tivesse sido mais rápida.

O secretário-geral destacou que o terrorismo e extremismo já são sérias ameaças transnacionais e falou sobre a necessidade de agir antes que as situações piorem.

No Conselho de Segurança, Ban Ki-moon destacou ainda que a Carta da ONU especifica que o povo é a força motora por trás das Nações Unidas. Por isso, o secretário-geral pediu que seja reafirmado o compromisso de servir às pessoas com toda a vontade e criatividade, para que sejam alcançadas a paz e a dignidade para todos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud