Em meio a cessar-fogo, milhares de civis continuam sitiados na Ucrânia
BR

17 fevereiro 2015

Alerta está sendo feito pelo Escritório de Direitos Humanos da ONU; porta-voz Rupert Colville cita mortes de dois civis no domingo e destaca que relatório completo sobre a situação será apresentado em breve.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O Escritório de Direitos Humanos da ONU está “alarmado com a continuação dos bombardeios em Debaltseve”, no leste da Ucrânia. Nesta terça-feira, o porta-voz Rupert Colville declarou em Genebra que está especialmente preocupado com os civis sitiados na área.

Colville acredita que milhares possam estar escondidos em porões, com dificuldades para obter comida, água e outros itens de necessidade básica. O porta-voz destacou não ser claro quantos civis continuam sitiados na região de Debaltseve. Segundo analistas, o local é considerado estratégico por ser um importante ponto de transporte férreo.

Mortes

Segundo Rupert Colville, os dias que antecederam o cessar-fogo, iniciado à meia-noite do dia 15, hora local na Ucrânia, foram marcados por “intensas hostilidades, com mortes de militares e de civis”.

Mas ele destacou que no geral, durante os dois primeiros dias da trégua, o número de mortes “diminuiu de forma dramática” e o impacto na população civil também foi menor, apesar de confrontos terem sido registrados em algumas áreas.

Relatório

Colville informou que o Escritório de Direitos Humanos da ONU só conseguiu documentar até agora que dois civis foram mortos na região de Luhansk, no domingo e que vários ficaram feridos na área de Donetsk na segunda-feira. Relatos de mortes de outros civis durante o cessar-fogo estão sendo verificados.

O porta-voz lembrou que o conflito na Ucrânia começou em meados de abril do ano passado, com 5.665 mortes confirmadas e 13.961 feridos no leste do país. O Escritório está preparando um relatório completo sobre a situação dos direitos humanos na Ucrânia e irá apresentar o documento no dia 2 de março.

Leia também:

Secretário-geral preocupado com confrontos em Debaltseve, na Ucrânia

Ban pede implementação de cessar-fogo genuíno e duradouro na Ucrânia

Ucrânia deve receber US$ 17,5 bilhões do Fundo Monetário Internacional