Conselho de Segurança aprova resolução contra financiamento ao Isil
BR

12 fevereiro 2015

Alvos são fontes que ajudam grupo a obter renda por meio da compra de petróleo, por exemplo; órgão apela por cooperação global para isolar ameaças terroristas.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O Conselho de Segurança aprovou uma resolução, esta quinta-feira, contra o financiamento aos grupos Estado Islâmico do Iraque e do Levante, Isil, e a Frente Al-Nusrah.

A resolução condena quem compra petróleo desses grupos, proíbe o comércio de antiguidades traficadas da Síria e do Iraque e pede aos países que não façam pagamentos de resgates – ações que violam a lei internacional.

Renda

O documento, proposto pela Rússia, foi adotado por unanimidade pelo Conselho de Segurança. O texto reforça a preocupação com campos de petróleo controlados pelo Isil, pela Frente Al-Nusrah e por grupos associados a Al-Qaeda, meio por onde obtêm renda.

Segundo o Conselho, esses grupos também dependem da extorsão, de doadores privados estrangeiros, de pedidos de resgate e de dinheiro roubado nos territórios que controlam.

Sequestros

O órgão condena qualquer tipo de comércio direto ou indireto com Isil, Al-Nusrah e Al-Qaeda, em especial o comércio de petróleo. A resolução aprovada reafirma que os Estados-membros da ONU têm a obrigação de congelar imediatamente o financiamento a pessoas que cometem, ou tentam cometer, atos terroristas.

O Conselho de Segurança volta a condenar sequestros cometidos por esses grupos, em especial raptos de mulheres e de crianças, além de estupros, abusos e casamentos forçados.

A resolução também condena a destruição e o roubo de patrimônio cultural no Iraque e na Síria, cometidos pelo Isil. O órgão pede a todos os países-membros que tomem medidas para evitar o comércio ilegal de itens históricos, culturais, religiosos e raros. O Conselho pede a ajuda da Interpol e da Unesco neste sentido.