FAO aposta em nova tecnologia para previnir doenças em animais
BR

10 fevereiro 2015

Com o Instituto Suíço de Bioinformática, agência da ONU amplia combate à gripe aviária e à febre aftosa; novos sistemas melhoram detecção precoce de doenças e aceleram prevenção.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York. 

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, anunciou uma parceria sobre novas tecnologias de combate a doenças em animais.

Com o Instituto Suíço de Bioinformática, SIB, a FAO busca ampliar o combate à febre aftosa e à gripe aviária, por exemplo. A agência da ONU destaca que o centro suíço tem computadores de alta performance e ampla base de dados para testar e monitorar doenças animais.

Prevenção

No trabalho com a FAO, técnicos do SIB desenvolveram formas de melhorar a detecção precoce e acelerar os sistemas de prevenção e de resposta de infecções virais em aves e gado.

A nova tecnologia ajuda a entender ameaças biológicas, o que facilita a prevenção e a resposta dos países sobre surtos em animais, que no caso da gripe aviária, pode também ser transmitida em humanos.

Genoma

A FAO explica que o instituto suíço é especializado na bioinformática, uma nova ciência que usa a tecnologia computadorizada para estudar dados biológicos, incluindo o genoma de vírus, bactérias e fungos que causam doenças.

Com essas informações, os cientistas podem produzir medicamentos e tratamentos adequados. Com o SIB, a FAO criou cursos online sobre bioinformática.

Leia também:

FAO alerta que crise de emergência afeta 20% dos sul-sudaneses

Índice de preço dos alimentos apresentou nova queda em janeiro, de 1,9% 

FAO: lagos e rios são fundamentais para subsistência de milhões

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud