Chefe da Comissão Económica defende perdão da dívida em região de ébola

10 fevereiro 2015

Carlos Lopes saudou decisão de aliviar as dívidas externas da Guiné Conacri, da Líbéria e da Serra Leoa; Fundo Monetário Internacional informou que as três nações receberão verbas de US$ 100 milhões no total.

Mônica Villela Grayley,  da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A Comissão Económica para África, Uneca, saudou a decisão do Fundo Monetário Internacional de destinar um total de US$ 100 milhões para os três países mais afetados pelo ébola. O objetivo é usar a quantia para abater as respectivas dívidas externas.

Em comunicado, o secretário-executivo da Comissão, Carlos Lopes, defendeu ainda o perdão absoluto da dívida das três nações. Lopes lembrou que a resposta ocorre após uma série de pedidos para o cancelamento das obrigações assumidas pelos três países com credores internacionais.

Cancelamento

Em 30 de janeiro, o Conselho de Paz e Segurança ressalvou a necessidade de atenção ao impacto que o ébola causou sobre as economias da região. A Cimeira da União Africana, realizada no início do mês, também advogou pelo cancelamento do que os países devem.

No ano passado, Carlos Lopes visitou Guiné Conacri, Libéria e Serra Leoa. Logo depois, foi lançado um estudo sobre o impacto socioeconómico, o que foi divulgado pela Uneca em dezembro passado.

Para o chefe da Comissão, a medida é necessária ainda para ajudar os países no seu longo processo de reconstrução após conflitos e atividades de consolidação da paz.

*Apresentação: Denise Costa.

Leia mais:

Chefe da Uneca destaca cancelamento da dívida a países afetados pelo ébola

Fórum sugere que países afectados pelo ébola tenham sua dívida perdoada

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud