Monusco condena massacres por grupos armados na região de Beni

4 fevereiro 2015

Chefe da Missão das Nações Unidas na República Democrática do Congo, Monusco, afirmou que violência não afetará determinação da ONU de conter violência a civis.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Missão das Nações Unidas na República Democrática do Congo condenou ataques com machetes que mataram dezenas de pessoas na localidade de Mayangoze-Kibidiwe, no nordeste da cidade de Beni.

Em nota, o representante especial de Ban Ki-moon na RD Congo, Martin Kobler, condenou com veemência os últimos ataques.

Justiça

Ele disse que os crimes não impedirão a determinação da ONU de conter todos os grupos armados que aterrorizam a população congolesa.

Kobler afirmou ainda que a Monusco apoiará as autoridades congolesas para identificar e responsabilizar os autores dos “ataques atrozes” levando-os à justiça.

A Monusco despachou ao lado da Polícia Nacional Congolesa, PNC, elementos para a região para investigar os incidentes.

Há relatos ainda que várias moradores da área rural de Kasu tinham sido mortos com aparentes sinais de decapitação. Também neste ataque não sabe quem são os autores.

Martin Kobler finalizou a nota afirmando que as operações de combate à violência e para garantir a segurança irão continuar no leste da RD Congo.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud