Em meio a surto de sarampo nos EUA, OMS defende vacinação
BR

4 fevereiro 2015

Organização Mundial de Saúde faz um apelo aos pais para que vacinem suas crianças e ajudem a conter a transmissão; mais de 100 pessoas foram contaminadas; governo tinha declarado fim do sarampo no país no ano 2000.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, está fazendo um apelo aos pais para que vacinem suas crianças contra o sarampo nos Estados Unidos. A medida é importante para manter o nível de imunidade alto e assim, conter o surto do vírus e evitar situações semelhantes no futuro.

Segundo a OMS, os Estados Unidos enfrentam um surto de sarampo que já contaminou mais de 100 pessoas em várias regiões do país. Este é o maior pico já registrado desde que o governo declarou, no ano 2000, a eliminação do sarampo.

Campanha

Na terça-feira, a porta-voz da OMS explicou que o sarampo voltou nos Estados Unidos principalmente devido a uma campanha criada “por alguns grupos, com informações erradas sobre a importância da vacinação”.

Fadéla Chaib destaca que são recomendadas duas doses da vacina de sarampo para garantir imunidade e lembrou que a vacinação existe há 50 anos e é segura e eficaz.

Baixo Custo

A porta-voz notou que milhões de crianças vacinadas foram salvas do sarampo nas últimas cinco décadas, por isso a importância de continuar com a medida que pode salvar crianças e também adultos.

Nos países em desenvolvimento, vacinar um menor contra o sarampo tem o custo de US$ 1, de acordo com a OMS, sendo uma das mais baratas do sistema de saúde.

Segundo agências de notícias, o surto de sarampo nos Estados Unidos teria começado na Disneylândia, na Califórnia, gerando um debate sobre a importância da vacinação e sobre pais que teriam optado por não vacinar seus filhos, temendo efeitos colaterais.