Portugal quer aumentar papel da economia azul em mais 50%, diz ministra
BR

29 janeiro 2015

Em entrevista à Rádio ONU, Assunção Cristas, da pasta da Agricultura e do Mar, acredita que medida pode ser alcançada até 2020; país abrigará evento sobre o tema na “Semana Azul”, marcada para julho em Lisboa.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Portugal quer investir mais na economia azul e nos benefícios de sua saída para o Oceano Atlântico. De acordo com a Estratégia Nacional do Mar, aprovada no ano passado, o país pode aumentar a contribuição da chamada economia do mar em até 50% para o Produto Interno Bruto português.

Em julho, Portugal deve organizar a Semana Azul, um evento que contará com ministros do Mar de todo o mundo, além de representantes da sociedade civil e do setor privado. A informação foi dada à Rádio ONU pela ministra da Agricultura e do Mar de Portugal, Assunção Cristas. Segundo ela, o aumento das atividades econômicas baseadas no mar deve se dar até 2020.

Sustentabilidade

“Nós temos um objetivo na nossa estratégia internacional do mar, que foi aprovado o ano passado, que é de aumentar a contribuição da economia azul para o PIB português em mais 50%. Isso significa passar de 2,8% para 4,5%, 5%. E hoje já temos em Portugal várias empresas a trabalhar em áreas novas. Por exemplo, na área das algas, mas noutras também, acrescentando valor àquilo que são os nossos recursos marinhos e sempre com uma preocupação de sustentabilidade no uso dos recursos.”

Assunção Cristas disse ainda que o tema é apoiado pelos integrantes da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Cplp.

“Todos os países da Cplp são países marítimos. São países que veem no mar uma oportunidade de crescimento, de criação de riqueza e criação de emprego numa lógica de sustentabilidade. E nós, é claro, que temos todo o interesse em ter uma voz ativa e em procurar mobilizar também a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa para que possa dar um contributo mais sólido e mais ambicioso para esta agenda, que é uma agenda global.”

Cristas falou à Rádio ONU durante uma viagem oficial à sede das Nações Unidas em Nova York. Ela encontrou-se com o secretário-geral Ban Ki-moon, a quem convidou pessoalmente para o evento em julho, em Lisboa.

Leia mais: 

Portugal defende posição concertada da Cplp na COP 18

Em Doha, Ban diz a governos que clima precisa de cooperação abrangente

Entrevista: Portugal na COP 18

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud