ONU pede calma após renúncia do premiê e do presidente do Iêmen
BR

23 janeiro 2015

Secretário-geral disse que situação piorou nos últimos dias com as forças do governo combatendo grupos rebeldes na capital; ele disse que todos os lados do confronto devem continuar diálogo com representante das Nações Unidas.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, divulgou nota dizendo que está profundamente preocupado com a situação no Iêmen depois da renúncia do presidente Abd Rabbo Mansour Hadi e do primeiro-ministro Khaled Bahah.

Ban disse que nos últimos dias, as tropas do governo iemenita estão enfrentando militantes rebeldes Houthi, grupo que seguia o ex-comandante Hussein al-Houthi assassinado pelas forças armadas do país em 2004.

Consultas

O secretário-geral pediu a todos os envolvidos nos confrontos que continuem o diálogo com o seu assessor especial para o Iêmen, Jamal Benomar, que está em Sanaa, a capital.

Benomar está realizando consultas para ajudar a encontrar uma saída para a crise. Depois dos ataques contra o palácio presidencial e também contra a residência do primeiro-ministro, os dois líderes anunciaram suas renúncias na quinta-feira.

Ban quer que os envolvidos na crise exerçam o máximo de moderação e mantenham a paz e a estabilidade do país.

No início desta semana, o Conselho de Segurança já tinha expressado preocupação com a situação no Iêmen e pedido, também, a todos os lados que mantenham contato com Benomar e tentem resolver as diferenças de forma pacífica.

Leia mais:

Ban lamenta combates entre grupos armados e forças de segurança no Iêmen

Conselho de Segurança condena ataque que matou 37 no Iêmen

Unicef condena ataque a escola no Iêmen que matou 15 meninas