Cheias deslocaram mais de 90 mil em Moçambique, segundo Ocha

21 janeiro 2015

Mais de 10 mil casas e 383 salas de aula foram destruídas no centro e norte do país; escritório da ONU fala em mais de 28 mil pessoas a viver em centros de acomodação.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.* 

Mais de 90 mil pessoas já foram afetadas pelas inundações que assolam as regiões centro e sul de Moçambique, segundo o Escritório da ONU para Assistência Humanitária, Ocha.

O escritório anunciou que decorrem atividades de salvamento, principalmente por via aérea. Calcula-se que 2,5 mil pessoas já tiveram os seus bens transferidos para áreas mais seguras, em operações da Agência Nacional de Proteção Civil.

Ação Internacional 

Mais de 10 mil casas e 383 salas de aula foram destruídas pelo fenómeno. No total, 28 mil pessoas estão a viver em 34 centros de acomodação.

O Ocha lembra que ocorrem cheias quase todos os anos em Moçambique e noutros países da região. Mas sublinha que a dimensão inesperada das atuais inundações levou a entidade a encorajar a ação da comunidade internacional.

Madagáscar e Malaui 

Os danos devido às intempéries na África Austral incluem o Madagáscar, que registou a tempestade tropical Chedza. Pelo menos 14 pessoas morreram e mais de 44 mil foram deslocadas.

No Malaui, prosseguem as operações de busca, salvamento e despacho de bens de socorro para as áreas afetadas pelas cheias. As autoridades malauianas pediram apoio internacional devido aos danos e deslocamentos que superaram a capacidade de resposta do governo.

*Apresentação: Denise Costa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud