Contrabando de migrantes causou 4077 mortes em 9 meses no ano passado

12 janeiro 2015

Casos fatais foram registados entre janeiro e setembro de 2014 ; Nações Unidas pretendem destacar tema em congresso sobre prevenção ao crime em Doha, em abril.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

As Nações Unidas anunciaram, esta segunda-feira, a realização do 13º Congresso sobre Prevenção ao Crime e Justiça Criminal de 12 a 19 abril em Doha, no Qatar.

O contrabando de migrantes é um dos vários crimes transnacionais a serem destacados no evento, que deve reunir representantes de governos, legisladores e especialistas. O objetivo é partilhar experiências e intensificar a cooperação internacional para combater o crime organizado praticado além-fronteiras.

Mortes

Estimativas da Organização Internacional para Migrações, OIM, revelam que pelo menos 4077 migrantes morreram enquanto eram contrabandeados para o exterior nos primeiros nove meses do ano passado. O valor corresponde a 70% das mortes registadas em todo o ano 2013.

Segundo as Nações Unidas, “de olho no lucro os criminosos exploram a falta de oportunidades legais para os migrantes” para tirar proveito da situação. Para tal, oferecem serviços caros que incluem transporte e documentos fraudulentos.

Corrupção

A ONU refere que migração é uma força positiva para o desenvolvimento, mas realça que ao ser organizada ilegalmente para o lucro de criminosos os efeitos incluem a crime organizado transnacional e a corrupção.

O congresso deve abordar as relações entre a segurança, a justiça e o Estado de direito em busca da realização da justiça.