Unicef alerta sobre fechamento de escolas para crianças na Síria
BR

6 janeiro 2015

Somente nas províncias de Raqqa e Deir-ez-Zour, 670 mil alunos estão sendo prejudicados pela situação; fundo da ONU diz que 2015 oferece “poucas chances” para os menores que vivem no país.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.*

Com o recente fechamento de várias escolas na Síria, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, calcula que 670 mil crianças sejam prejudicadas.

Esta terça-feira, o Unicef declarou que o ano de 2015 oferece “poucas chances para a educação” no país que vive um conflito civil há quase quatro anos. Em 2014, pelo menos 68 escolas sírias foram atacadas e 160 crianças morreram nas ações.

Proteção

O fechamento mais recente ocorreu nas províncias de Raqqa e Deir-ez-Zour e em áreas rurais de Alepo, a segunda maior cidade da Síria.

Até dezembro, o conflito na Síria tinha afetado mais de 8 milhões de menores, sendo que 1,7 milhão estão refugiados em países vizinhos como Líbano, Jordânia, Turquia, Iraque e Egito.

O Unicef continua a pedir com urgência aos combatentes que cumpram com sua responsabilidade de proteger crianças, escolas e outras infraestruturas civis. Para a agência da ONU, “mais do que nunca, as crianças sírias enfrentram as piores ameaças a sua segurança, bem estar e educação”.

Fora da Escola

Num levantamento feito em parceria com o Ministério da Educação do país, o Unicef calcula que até 2,4 milhões de menores estejam fora da escola ou sem frequentar as salas de aula com regularidade.

A agência da ONU acredita ainda que integrantes do grupo Estado Islâmico podem estar controlando áreas onde as escolas foram fechadas, mas o Unicef lembra que a situação no terreno muda constantemente.

*Apresentação: Mônica Villela Grayley.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud