Missão da ONU no Iraque diz que 2014 foi ano mais mortal desde 2007
BR

2 janeiro 2015

De acordo com dados da Unami, mais de mil iraquianos foram mortos em atos de violência e terrorismo em dezembro; segundo a Unami, em todo o ano passado pelo menos 12.282 civis morreram.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.

De acordo com números divulgados nesta quinta-feira pela Missão de Assistência da ONU para o Iraque, Unami, cerca de 1,1 mil iraquianos foram mortos em atos de violência e terrorismo somente em dezembro do ano passado.

Deste total, 680 eram civis. O número de feridos seria de 1.868, mais de 70% civis.

Ano Mortal

Além disso, neste período, 421 integrantes das Forças de Segurança do Iraque morreram e 508 ficaram feridos.

Segundo a Unami, entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2014, pelo menos 12.282 civis morreram no Iraque e mais de 23 mil ficaram feridos. O mês de junho foi o que teve o maior número de mortos e feridos.

Terrorismo

A Missão afirma que em 2014, o número de civis vítimas do conflito é o mais alto desde 2007. Segundo o representante especial do secretário-geral para o Iraque, Nikolay Mladenov, o cidadão iraquiano comum “continua sofrendo com violência e terrorismo”.

Ele pediu “mais uma vez” a “todos os atores políticos no Iraque que encontrem uma solução pacífica para os problemas que o país enfrenta” e disse esperar que isso possa ser feito em 2015.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud