Nações Unidas continuam a negociar permanência de funcionários do Sudão

31 dezembro 2014

Ban Ki-moon volta a criticar fortemente a decisão do governo de expulsar o coordenador humanitário da ONU e a diretora do Pnud; Sudão concordou que eles fiquem no país até fim de janeiro.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O secretário-geral da ONU voltou a criticar a decisão do Sudão de expulsar do país o coordenador residente e humanitário das Nações Unidas e a diretora nacional do Programa da ONU para o Desenvolvimento, Pnud.

Numa nota, Ban Ki-moon afirma que sua posição é clara e destaca que a expulsão de funcionários-chave pode vir a ser uma “grande perda para a comunidade humanitária e para o desenvolvimento do Sudão”.

Desenvolvimento

Ban lembra que as necessidades humanitárias no país estão a crescer, ao mesmo tempo em que a nação enfrenta desafios significativos no setor de desenvolvimento.

As Nações Unidas estão a negociar com o governo do Sudão em vários níveis, na tentativa de conseguir que a decisão seja revertida. O secretário-geral lembra ser essencial que a organização possa continuar a realizar seu trabalho no país.

Cooperação

O governo concordou em estender o prazo de saída dos funcionários. Ao invés de serem retirados esta sexta-feira, eles podem permanecer no Sudão até o fim de janeiro. Mas as discussões neste sentido continuam.

Ban reforça que as Nações Unidas estão comprometidas com uma relação produtiva e frutífera com o governo sudanês, em benefício da população e com base no respeito da soberania.

A ONU está a contar com a total cooperação do governo, para que permita que toda a liderança da organização continue a realizar seu importante trabalho no país.

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud